Foi a convite da Playstation Portugal que fomos testar em primeira mão Uncharted 4 às suas instalações em Madrid. O capítulo final da história de Nathan Drake foi apresentada por Arne Mayer e Ricky Cambier, da Naughty Dog, developers do jogo e que nos deram a conhecer todas as novidades do mesmo. Nathan Drake está mais velho, e em parte descansado, até que recebe a visita do seu irmão que lhe fala de um tesouro, pertencente a Henry Ivery, um dos maiores piratas de sempre, um tesouro avaliado em cerca de 500 Milhões de dólares. Esta é a base histórica do jogo, e com esta premissa partimos à busca de respostas em Madagascar, onde podemos pela primeira vez experimentar aquilo que a Naughty Dog apelidou de “open linear”, isto é, um mundo aberto mas que nos conduz a objectivos e tomar determinadas direcções. Será nesse ambiente que teremos a oportunidade de conduzir um jipe pelo mapa aberto.

12961203_10153883638292702_1042698534827567648_o

A sua condução é apurada mas simples, sendo quase um simulador de todo o terreno automóvel. É extremamente divertido conduzir o jipe pelas diferentes áreas como água, areia, pedra ou lama. E todas estas diferenças de terreno se sentem, e vêm no carro. Outra novidade está ligada ao combate, agora podemos marcar os inimigos pressionando um botão enquanto vigiamos a área para que ao atacar furtivamente possamos saber melhor onde eles estão. Os inimigos têm também um sistema de alerta novo onde podemos saber se já nos viram, se estão simplesmente desconfiados ou se devemos fugir. Durante a demo podemos sempre contar com a companhia de Sully e Sam o irmão de Drake, e a I.A. de ambos, inspirada em The Last Of Us, está afinadíssima, sendo que por varias vezes ambos conseguiram liquidar inimigos ou dar cobertura, sem atrapalharem o jogador. Graficamente estamos perante o melhor que a Sony nos apresentou até ao momento, com cenários de cortar a respiração, e pormenores como a vida selvage que nos rodeia ser digna de chamar a este cenário quase um safari. Uncharted 4 é um jogo que promete ser tão importante e marcante para a PS4 como os anteriores foram para a PS3. Esta é sem duvida uma despedida merecida para Drake.