Developer: Capcom
Plataforma: PC (Steam)
Data de Lançamento: 12 de janeiro de 2022

Diria que todos os fãs esperavam por este anúncio, mas agora com a possibilidade de experimentarem uma demo, torna tudo mais real. Monster Hunter Rise tem data de lançamento marcada para o PC no próximo dia 12 de janeiro, e já tivemos a oportunidade de experimentar esta versão no seu verdadeiro potencial.

A versão PC tem uma série de novidades, mas obviamente a principal prende-se com o facto de termos à nossa disposição uma resolução 4K, com o frame rate a rondar os 60fps, com pequenas oscilações, e com todas as texturas em alta resolução. E é caso para dizer que bem merecia. A Nintendo Switch faz um esforço titânico para conseguir acompanhar toda a ação e grafismos do jogo, mas apreciando esta versão PC, facilmente percebemos o que a Capcom tinha em mente, com a ambição de colocar o jogo com um incrível desempenho, quer em termos gráficos, mas também de fluidez.

É notório a qualidade das texturas do ambiente, dos materiais das roupas, das armaduras, dos nossos companheiros, das bandeiras, das tendas, da água; tudo a fluir com uma leveza e detalhe tal, que é difícil não ficar parado a olhar e a contemplar cada momento. Onde ainda conseguimos denotar um salto gráfico maior é precisamente nas lutas, e em particular nos monstros que temos para caçar, com as suas movimentações mais fluídas, ao mesmo tempo que o detalhe da sua carcaça é muito maior, assim como todos os efeitos dos ataques de cada um. Já não existe aqueles momentos de entrarmos pelas texturas a dentro, ou de o caos nos fazer perder totalmente a ação. Com isto tudo o jogo ganha uma nova dimensão, uma nova imersão, e uma beleza muito superior, que o torna obrigatório.

A outra grande diferença prende-se com os controlos, obviamente. Agora com teclado e rato, a exigência é outra, mas os comandos são muito fáceis de interiorizar, especialmente se tivermos um rato com mais alguns botões extra. Nós, por aqui, usámos o Razer Viper, que para além dos botões tradicionais, esquerdo e direito, o da roldana e a roldana em si, tem mais dois botões na face esquerda, e chega e sobra. Neste esquema de controlos, o clássico “WASD” serve para movimentar, com a tecla “SHIFT” para correr, a tecla “F” para falar com os NPCS ou apanhar objetos e o “E” para utilizar items do inventário. Depois o rato faz praticamente o resto com o botão esquerdo e direito para os ataques, no esquema que utilizei, uns dos botões da face interior esquerda do mouse ficaram para para as acções de defender e de Dash, sendo que o Dash também está localizado na “Barra de Espaços”. Clicar no botão da roldana ativa o Wirebug, que juntamente com o botão esquerdo ou direito permite atacar ou ativar o Wyvern Riding. A roldana por si só, serve ainda para rodarmos o inventário de uma forma mais rápida.

Esta versão de demonstração terá duas opções para jogarem: a opção de jogar sozinho, ou de jogar com amigos. Na primeira opção temos 2 missões de treino que servem de tutorial para sabermos os movimentos, os botões, como usar o nosso inventário, entre outros pequenos detalhes. Depois temos mais 3 missões de caçada: uma de nível iniciante, uma de nível intermédio, e outra de nível avançado.

Já na opção de jogar com amigos, temos então o jogo local, onde podemos jogar com outros jogadores que tenham esta versão demonstração na sua Nintendo Switch, e o jogo online, neste podemos criar um lobby, encontrar um lobby ou procurar um lobby por ID. Facilmente se percebe que aqui será o local onde devem ir quando querem jogar na companhia de amigos ou de jogadores espalhados por o mundo.

Em termos de mecânicas, para todos aqueles que já jogaram a saga vão facilmente reconhecer o esquema, e mesmo para aqueles que não conhecem, há duas missões que servem de tutorial que facilmente nos metem dentro da mecânica do jogo. Quando falo das mecânicas, refiro-me à sua jogabilidade, isto é, a maneira de nos movimentarmos, de atacarmos, de nos desviarmos, e até de como interagimos com tudo o que podemos apanhar no mapa. Outra das semelhanças tem a ver com a utilização dos itens, como as poções, as armadilhas, as bombas, basicamente tudo o que está na nossa barra de itens. Além da barra de itens também existe a barra de ações onde podem colocar atalhos para aqueles itens específicos que usam mais. Até a caixa de suprimentos que nos é fornecida ao iniciar as missões é semelhante ao que é apresentado em Monster Hunter World. Aliás, podemos até dizer que os menus do jogo são baseados no mesmo jogo, e parece-nos que foi a forma da Capcom presentear os jogadores, tal como tinha acontecido na Nintendo Switch, mas também aqui no PC, onde a sua fluidez é bastante maior e assinalável.

Algo que todos os jogadores vão gostar nesta versão de demonstração é a possibilidade de jogar com todo o tipo de armas. Antes de cada missão podem escolher a arma que querem usar, seja a espada longa, o arco, o martelo, a lança, entre todas as outras. Ao todo são 14 armas completamente ao vosso dispor, o que vos permite encontrarem as que se adequam mais ao vosso estilo de jogo, existe ainda a possibilidade de conhecer todas as combinações possíveis – já que existe um local no menu onde tudo está descrito, sejam os controlos ou os combos possíveis com determinada arma.

As três missões passam-se no mesmo mapa (Shrine Ruins), onde nos é permitido explorar à vontade todo o mapa. Vão ter diversos monstros pequenos que podem atacar e apanhar, assim como 4 monstros de grande porte. Entre eles o Great Izuch, o Mizutsune ou o Magnamalo, correspondendo aos três níveis de dificuldade que já referimos.

Será também possível conhecer as duas grande novidade do jogo, uma delas o Wirebug que podemos usar para nos movimentarmos, tanto a subir locais, para nos desviarmos rapidamente e até para fazermos ataques pelo ar. Além disso, outra das particularidades, é o Wyvern Riding, que permite que consigamos montar alguns dos monstros, ao ponto de conseguirem guia-los e até lutar com eles contra outros monstros, existindo até a possibilidade de os prenderem ao chão ou a paredes com esses cabos. Seja como for, estejam descansados que tudo está bem explicado numa das missões de tutorial.

A segunda novidade é termos agora novos companheiros que nos acompanham nas nossas caçadas, se por exemplo em Monster Hunter World tínhamos os “Felyne” Palicoes, agora além deles teremos também os Palamutes, companheiros “Canyne” que podem ser montados para nos movimentarmos mais depressa, mas também nos ajudam a atacar os diversos monstros que encontramos. No caso de jogarem online, terão de escolher apenas um desses companheiros para vos acompanhar.

Apenas com esta pequena demo, é difícil não ficar com água na boca à espera do lançamento da versão final para PC a 12 de janeiro do próximo ano. Com a qualidade gráfica que apresenta, com a facilidade de comandos, com a opção de estar em partys de voz com os vossos amigos, e ainda com os conteúdos que já foram entretanto lançados para a Nintendo Switch e todos aqueles que já estão planeados futuramente, este será claramente um dos principais destaques do ano que vem.