A Nintendo Switch OLED está quase a chegar, é já no dia 8 de outubro que chega às lojas a nova versão e nós tivemos a oportunidade de experimentá-la em primeira mão durante cerca de 1 hora e meia. A Nintendo passado 4 anos e alguns meses do lançamento da Nintendo Switch original, decidiu lançar uma nova consola que pouco varia no hardware da consola original, mas que introduziu alguns melhoramentos quer a nível estético, mas também (e literalmente) a nível visual e auditivo, no que toca ao seu modo portátil.

Em termos gerais e como a Nintendo já tinha informado os jogadores das diferenças desta versão OLED em relação à versão original, mas para vós relembrar, aqui ficam elas: o ecrã passou de 6.2 polegadas para 7 polegadas; o suporte da consola para jogar em “tablet mode” é bastante mais maior e mais largo, permitindo colocar a consola em vários ângulos; o armazenamento passou de 32GB para 64GB; a consola tem altifalantes que oferecem um som optimizado; a Dock passou a ter uma porta lan, dispensado o jogador de comprar um adaptador USB para poder ligar um cabo de rede.

Obviamente que tendo em mente as diferenças entre a Nintendo original e o novo modelo OLED, tentei fazer algumas comparações enquanto me divertia a jogar Metroid Dread. Existiu 2 coisas que foi fácil de verificar, a primeira delas é o ecrã, a Nintendo Switch com o ecrã OLED oferece aos jogadores uma luz bastante mais viva e com um maior contraste. O Metroid Dread por acaso permitiu verificar que as zonas escuras ficam bastante mais escuras e as zonas claras emitem uma luz bastante viva, conseguindo criar uma maior imersão, além disso, mesmo com muita luz vindo das janelas, e batendo directamente no ecrã da consola continuamos a conseguir jogar sem qualquer problema, sem existir aquela sensação de incómodo, ou mesmo de falta de iluminação do ecrã como por vezes acontecia com a Nintendo original.

Ainda relacionado com o ecrã está o seu tamanho, é incrível como uma diferença de 6.2 para 7 polegadas consegue fazer tanta diferença, sentimos que o ecrã é mesmo muito maior, antes de a experimentar nunca pensei que fizesse tanta diferença em relação à original, mas a verdade é que ainda é uma diferença bastante significativa. Para isso acontecer as margens ficaram muito mais curtas em comparação com a original. Na verdade a sensação que temos logo nos primeiros instantes é que estamos perante uma consola modernizada, tal como aconteceu com os telemóveis que ao longo do tempo foram tendo ecrãs quase sem margens, a Nintendo trouxe isso para a sua consola, e na verdade valeu bem a pena.

A outra diferença foi em relação ao som, a parte do som ser mais optimizado não posso confirmar já que não existia outra Nintendo Switch original para comparar directamente, mas dá a sensação que o som emitido pela consola consegue ser ligeiramente mais alto. Provavelmente neste campo existiu alguma alteração dos altifalantes, ou um posicionamento melhor dos mesmos, permitindo assim que a consola consiga oferecer um som diferente aos jogadores.

Quanto ao suporte para jogar em tablet mode, está é simplesmente incrível, agora é mais amplo, oferecendo uma maior segurança na hora de colocar a Nintendo Switch em qualquer superfície para jogar desta maneira. Esta era uma enorme queixa que os jogadores tinham (e com razão), e que agora nesta versão foi totalmente ultrapassada, até porque além do suporte mais, ainda permite ser ajustado para o ângulo que o jogador preferir, o que é óptimo.

A parte de cima da consola também está um pouco diferente, embora tudo esteja nos locais habituais, os botões estão diferentes, assim como a saída de ar, que agora apresenta um espaçamento menor. No geral, o que me pareceu é que a consola levou alguns melhoramentos estéticos interessantes, continuando do mesmo tamanho, mas com um visual modernizado.

Embora não tenha tido a oportunidade de jogar em modo dock, tive também a oportunidade de ver, olhando para os seus novos detalhes. Não sei se é por o modelo que vi ser o branco, mas a verdade é que esteticamente está muito bonita, mais uma vez bastante mais moderna. Tendo o símbolo da Nintendo Switch agora em relevo no meio da dock. A porta lan encontra-se posicionada na parte de trás ao lado do HDMI e da porta USB C de alimentação da dock, e do lado esquerdo da consola temos 2 portas USB. Além disso, a saída dos cabos agora tem uma ranhura arredondada e maior.

Já devem ter reparado que não falei em aspecto de performance da consola, e não será possível falar muito sobre isso, já que o jogo que tive oportunidade de jogar foi o Metroid Dread, e como nunca o vi a correr na Nintendo Switch original não tenho como fazer um comparativo, posso apenas dizer que o jogo correu sem qualquer problema neste novo modelo OLED da Nintendo Switch, e sempre com um grafismo excelente, mas isso podem ler os detalhes nas primeiras impressões sobre o Metroid Dread.

Para finalizar, dizer que fiquei muito satisfeito com o que vi do novo modelo OLED da Nintendo Switch, pareceu-me uma consola modernizada com um ecrã que chama facilmente a atenção dos jogadores, e que sem dúvida é a escolha ideia para aqueles que querem comprar pela primeira vez uma Nintendo Switch, ou mesmo para aqueles que querem ter uma consola mais modernizada. Caso utilizem muito a consola em modo portátil, também recomendo a olharem para ela com bastante atenção, pois parece-me o melhor modelo para jogar na rua.

Deixa um comentário