Na primeira de várias réplicas táticas que vamos fazer no FIFA 20, vamos iniciar com o sistema tático do Benfica e o modelo de jogo que permitiu a Bruno Lage ser campeão na época de 2018/2019.

Tanto as instruções colectivas como individuais serão explicadas ao pormenor, assim como as posições de cada jogador, de maneira a que possamos recriar grande parte das dinâmicas.

Para quem não sabe, as táticas podem ser criadas em Personalizar/Convocatórias/Nova Convocatória. E é importante não esquecer que depois de salvar as alterações, é necessário tornar a tática como favorita (botão do na PlayStation 4 e botão Y na Xbox One). Têm de ser utilizados os plantéis offline para que a tática apareça como pré-definida (no local onde se seleccionam as equipas: ou Y).

O 4-4-2 de Bruno Lage

Paga-nos o café hoje!

O jovem treinador do Benfica tenta impor sempre uma rápida reacção à perda, e com este Estilo Defensivo a equipa irá pressionar imediatamente após perder da posse da bola, no entanto, não conseguindo recuperá-la nos instantes seguintes, a equipa reorganiza-se, adoptando uma postura mais conservadora, com uma distância equilibrada entre jogadores e numa linha defensiva média/alta.

Ofensivamente – e dependendo da zona onde recupera a bola –, o Benfica aproveita para fazer transições rápidas que beneficiam da desorganização do adversário para causar problemas. Porém, também é forte em organização ofensiva, colocando quase sempre 6 jogadores à frente da linha da bola. Os laterais jogam sempre muito profundos e dão bastante largura, sendo constantemente solicitados nos cruzamentos, com 3 e 4 jogadores normalmente em zona de finalização.

Nesse sentido, no separador das Táticas, iremos escolher as seguintes opções:

Estilo Defensivo (Pressionar Após Perda Posse de Bola)

Largura (5/10)

Profundidade (7/10)

Estilo Ofensivo (Construção Rápida)

Largura (8/10)

Jogadores na área (7/10)

Grimaldo e André Almeida dão profundidade aos flancos, sendo que Grimaldo é uma das principais referências ofensivas e André Almeida pondera mais as subidas; Gabriel e Florentino tentam equilibrar a equipa, ambos ficando mais atrás e fazendo a bola circular por dentro e por fora; Rafa e Pizzi com bastantes movimentos interiores, com Pizzi a ter um papel mais livre e Rafa alternando entre recebendo no pé para enquadrar e atacando a profundidade entre lateral e central adversários; Raul de Tomás joga mais no apoio, enquanto que Seferovic ataca frequentemente a profundidade.

Eis as Posições e Instruções para cada jogador:

  Vlachodimos (GR) Defendendo Cruzamentos Equilibrado; Defendendo Fora da Área Equilibrado

Grimaldo (LEO) Desmarcação Ofensiva Juntar-se ao Ataque; Interceções Interceções Normais; Tipo de Corrida Ataque Misto

Ferro (DCE) Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Interceções Interceções Normais

Ruben Dias (DCD) Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Interceções Interceções Normais

André Almeida (DD) Desmarcação Ofensiva Ataque Equilibrado; Interceções Interceções Normais; Tipo de Corrida Sobreposições

Florentino (MDD) Atitude Defensiva Defesa Equilibrada; Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Interceções Interceções Normais; Posição Defensiva Cobrir Centro

Gabriel (MCE) Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Apoio nos Cruzamentos Na Linha da Área no Cruzamento; Interceções Interceções Normais; Liberdade Posicional Ficar na Posição; Posição Defensiva Cobrir Centro

Rafa (AE) Desmarcação de Apoio Manter-se no Centro; Desmarcação Ofensiva Ataque Misto; Interceções Interceções Normais; Apoio Defensivo Apoio Defensivo Básico

Pizzi (MOD) Apoio Defensivo Apoio Defensivo Básico; Apoio nos Cruzamentos Subir para Centros Equilibrado; Liberdade Posicional Liberdade de Movimentos; Interceções Interceções Normais

Raul de Tomás (AC) Desmarcação de Apoio Manter-se no Centro; Desmarcação Ofensiva Ataque Misto; Interceções Interceções Normais; Apoio Defensivo Apoio Defensivo Básico

Seferovic (PLE) Desmarcação de Apoio Largura Equilibrada; Desmarcação Ofensiva Aparecer nas Costas; Interceções Interceções Normais; Apoio Defensivo Apoio Defensivo Básico

Vantagens:

– É fácil jogar em apoio frontal e aproveitar as várias entradas dos jogadores que estão de frente para o jogo.

– Diversas opções de passe no último terço, tanto entrelinhas no corredor central, como nas faixas através dos laterais, que têm imenso espaço para desequilibrar.

– Uma transição ofensiva forte.

Desvantagens:

– É necessário algum cuidado contra equipas que pressionam alto, visto que como os nossos laterais estão tão profundos, ocasionalmente têm dificuldades em oferecer uma linha de passe mais segura.

– Tantos jogadores à frente da linha da bola significa que a transição defensiva terá de ser muito bem calculada.

– Contra equipas que tenham qualidade em posse, por vezes pode ser difícil controlar a zona central. Com dois médios apenas, poderá ser curto.

Seguindo estas instruções, será possível reproduzir várias das rotinas e dinâmicas características no modelo de Bruno Lage, e que estiveram na origem do grande volume de jogo especialmente conseguido na época 2018/2019, com 103 golos marcados no campeonato.

A próxima tática que iremos trazer será a do Porto, onde tentaremos simular muitas das particularidades que fazem da equipa de Sérgio Conceição um colectivo tão intenso, versátil e difícil de bater.

Fiquem atentos.