E tal como havíamos prometido no artigo anterior de Sistemas Táticos do FIFA 20, onde replicámos as especificidades do Benfica de Bruno Lage, agora é a vez do Porto de Sérgio Conceição. Um sistema tático muito à imagem do treinador portista e que foi fundamental para ganhar o campeonato na temporada 2017/2018 e conquistar 85 pontos época passada, o que é uma boa prova da fiabilidade e regularidade deste modelo de jogo.

Novamente, para quem não sabe, as táticas podem ser criadas em Personalizar/Convocatórias/Nova Convocatória. E é importante não esquecer que depois de salvar as alterações, é necessário tornar a tática como favorita (botão do na PlayStation 4 e botão Y na Xbox One). Têm de ser utilizados os plantéis offline para que a tática apareça como pré-definida.

O 4-4-2 de Sérgio Conceição

É um modelo de jogo peculiar, particularmente pela intensidade que entrega ao jogo e como força tantas vezes o oponente a entrar numa disputa onde se sente muito menos confortável. No entanto, não é só aí que podemos encontrar as virtudes do sistema que Sérgio Conceição implementou nos dois últimos anos e meio, uma vez que é um modelo bastante equilibrado e com respostas para várias situações.

Faz um óptimo uso dos constantes ataques à profundidade por parte dos dois avançados – fisicamente fortíssimos –, que vão esticando e arrastando a linha defensiva adversária, abrindo espaços para que os dois alas que jogam maioritariamente por dentro tenham sempre condições de sobra para executar, além de estarem normalmente posicionados para ganharem as segundas bolas e imediatamente prontos para enquadrar em condução.

A largura é dada pelos dois laterais, que jogam quase como extremos e aproveitam o vazio que é criado devido à atracção que os dois médios-alas provocam nas marcações. Como existem habitualmente entre 4 e 6 jogadores no corredor central, é fácil ganhar duelos atrás de duelos, sufocando por vezes o conjunto adversário.

Traduzindo em instruções, no separador das Táticas, escolheremos estas opções:

Estilo Defensivo (Pressionar Após Perda Posse de Bola)

Largura (4/10)

Profundidade (6/10)

Estilo Ofensivo (Passe Longo)

Largura (7/10)

Jogadores na área (7/10)

Alex Telles e Corona ficam responsáveis por oferecer a largura, bem perto das linhas laterais; Uribe, e principalmente Danilo, reinam nos duelos em zona central, sendo que o português adopta uma posição mais atrasada em construção e o colombiano tenta ocasionalmente a chegada à área adversária; Nakajima e Otávio são autênticos quebra-cabeças, colocados entrelinhas e acelerando o jogo sempre que têm oportunidade, onde Otávio tem mais responsabilidades defensivas, recuando frequentemente para trás da linha da bola em transição defensiva, equilibrando a equipa; Marega é a referência ofensiva na profundidade, seja no centro, ou descaindo para as laterais e Zé Luís vai alternando entre os movimentos de profundidade e o apoio frontal, quando a equipa precisa de ligar o jogo.

Nesse sentido, aqui estão as Instruções individuais:

Marchesín (GR) Defendendo Cruzamentos Equilibrado; Defendendo Fora da Área Equilibrado

Alex Telles (LEO) Desmarcação Ofensiva Juntar-se ao Ataque; Interceções Interceções Normais; Tipo de Corrida Sobreposições

Marcano (DCE) Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Interceções Interceções Normais

Pepe (DCD) Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Interceções Interceções Normais

Corona (LDO) Desmarcação Ofensiva Juntar-se ao Ataque; Interceções Interceções Normais; Tipo de Corrida Sobreposições

Danilo Pereira (MDD) Atitude Defensiva Defesa Equilibrada; Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Interceções Interceções Normais; Posição Defensiva Cobrir Centro

Uribe (MCE) Apoio Atacante Ataque Equilibrado; Apoio nos Cruzamentos Na Linha da Área no Cruzamento; Interceções Interceções Normais; Liberdade Posicional Ficar na Posição; Posição Defensiva Cobrir Centro

Nakajima (AE) Desmarcação de Apoio Manter-se no Centro; Desmarcação Ofensiva Falso 9; Interceções Interceções Normais; Apoio Defensivo Apoio Defensivo Básico

Otávio (AD) Desmarcação de Apoio Manter-se no Centro; Desmarcação Ofensiva Falso 9; Interceções Interceções Normais; Apoio Defensivo Recuperar Posição Defensiva

Zé Luís (AC) Desmarcação de Apoio Manter-se no Centro; Desmarcação Ofensiva Aparecer nas Costas; Interceções Interceções Normais; Apoio Defensivo Apoio Defensivo Básico

Marega (PL) Desmarcação de Apoio Abrir nas Alas; Desmarcação Ofensiva Aparecer nas Costas; Interceções Interceções Normais; Apoio Defensivo Apoio Defensivo Básico

Vantagens:

– Transições defensiva e ofensiva muito agressivas.

– Jogo interior de qualidade que obriga a oposição a juntar no meio e a deixar espaço para ser explorado pelos laterais.

– Facilidade em ganhar os duelos.

Desvantagens:

– O avanço dos laterais, por vezes, pode ser aproveitado pelos extremos adversários, que se colocam estrategicamente nas costas.

– A alta intensidade deixa o jogo partido várias vezes. Há que estar preparado para isso.

– Frequentes situações de igualdade numérica em transição defensiva

Ficam assim com uma reprodução do actual modelo de jogo do Futebol Clube do Porto, para que possam simular algumas das dinâmicas às quais podem assistir na realidade.

No próximo artigo iremos abordar o sistema de Jorge Jesus que tanto impacto tem causado no Brasil. Os nossos leitores sportinguistas vão ter de aguardar mais um pouco, visto que ainda não sabemos exactamente o que Silas pretende implementar. Contudo, assim que exista um padrão de jogo que possamos replicar, fica aqui a promessa de que será feito.

Outros artigos relacionados com o FIFA 20 que possam querer consultar:

Sistemas táticos do FIFA 20: O Benfica de Bruno Lage

Sistemas táticos do FIFA 20: O modelo de Jorge Jesus

FIFA 20: Conselhos Táticos – Como defender – Parte 1

 

Deixa um comentário