Depois de uma época em que só a campanha na Liga dos Campeões esteve de acordo com os objectivos do clube, o Benfica tinha de mudar. E o primeiro passo foi a contratação de um treinador estrangeiro, rompendo com a dinastia de técnicos portugueses que já vinha desde 2009. O escolhido foi Roger Schmidt, outro produto da recente escola alemã; e o seu percurso tem sido interessante e promissor, subindo degrau a degrau, e chegando agora ao maior desafio da sua carreira até ao momento. Nesse sentido, decidimos dissecar o seu modelo no PSV de maneira a ficarmos com uma perspectiva do que poderá trazer para a equipa portuguesa.

Para quem não souber, as táticas podem ser criadas em Personalizar/Convocatórias/Nova Convocatória. E é importante não esquecer que depois de salvar as alterações, é necessário tornar a tática como favorita (botão do na PlayStation 4 e PlayStation 5 e no botão Y na Xbox One e Xbox Series). Têm de ser utilizados os plantéis offline para que a tática apareça como pré-definida.

O 4-2-3-1 de Roger Schmidt

É mais um treinador alemão a seguir a filosofia do gegenpress, sendo essa uma das principais qualidades que vai trazer ao clube lisboeta. Muita intensidade na reacção à perda da bola, com uma linha defensiva muito subida, de forma recuperar a bola rapidamente e aproveitar algum desnorte da equipa adversária. Porém, não é só um treinador de contra-ataque, dado que também gosta que a sua equipa circule a bola na largura quando o seu adversário já se encontra organizado.

No separador das Táticas colocaremos o seguinte:

Estilo Defensivo (Pressionar Após Perda da Bola)

Largura (65)

Profundidade (80)

Construção de Jogo (Construção Rápida)

Criação de Oportunidades (Passe Direto)

Largura (70)

Atletas na área (8/10)

Paga-nos o café hoje!Schmidt tem o costume de apostar nos jogadores que estão mais em forma, e o caso de Yvon Mvogo é um bom exemplo, assumindo a baliza nos últimos dois meses da época; os nomes escolhidos para o quarteto defensivo variaram bastante, mas no global, aqueles que exibiram em melhor plano foram Boscagli e Teze como centrais; e Max e Mauro Junior como laterais esquerdo e direito – sempre muito profundos em campo; Sangaré e Gutiérrez foram os pivots defensivos preferidos de Roger Schmidt, especialmente por serem jogadores com uma enorme capacidade física, com bola, pouco sobem e preocupam-se essencialmente a proporcionar uma circulação fora do bloco; um pouco mais à frente, Gotze, jogando livre e fazendo uso da sua técnica e inteligência para desequilibrar; houve igualmente bastante rotação na frente, mas aqueles que melhor corresponderam às ideias do treinador foram provavelmente Gakpo como ala/avançado esquerdo, pela sua velocidade com e sem bola; Madueke no lado direito pela sua intensidade alta quando a equipa recuperava a posse (com ambos os alas a jogarem por dentro); e Zahavi como avançado centro, com bons movimentos profundidade.

Mvogo (GR) Defendendo Cruzamentos Equilibrado; Defendendo Fora da Área Guarda-Redes Líbero

Max (LEO) Desmarcação Ofensiva Juntar-se ao Ataque; Interceções Interceções Agressivas; Tipo de Corrida Sobreposições Posição Defensiva Ficar na Posição

Boscagli (DCE) Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Interceções Interceções Normais Posição Defensiva Ficar na Posição

Teze (DCD) Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Interceções Interceções Normais Posição Defensiva Ficar na Posição

Mauro Junior (LDO) Desmarcação Ofensiva Juntar-se ao Ataque Interceções Interceções Agressivas; Tipo de Corrida Sobreposições Posição Defensiva Ficar na Posição

Gutiérrez (MDD) Atitude Defensiva Defesa Equilibrada; Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Interceções Interceções Agressivas; Posição Defensiva Cobrir Centro Liberdade Posicional Ficar na Posição

Sangaré (MDE) Atitude Defensiva Defesa Equilibrada; Apoio Atacante Ficar Atrás Durante Ataque; Interceções Interceções Agressivas; Posição Defensiva Cobrir Centro Liberdade Posicional Ficar na Posição

Gotze (MOC) Apoio Defensivo Apoio Defensivo Básico; Apoio nos Cruzamentos Subir à Área para Cruzamento; Liberdade Posicional Liberdade de Movimentos; Interceções Interceções Agressivas

Madueke (ED) Apoio Defensivo Apoio Defensivo Ficar na Frente Criação de Oportunidade Diagonal para o Meio; Desmarcação de Apoio Aparecer nas Costas; Apoio nos Cruzamentos Subir à Área para Cruzamento Interceções Interceções Agressivas

Gakpo (AE) Desmarcação de Apoio Manter-se no Centro; Desmarcação Ofensiva Aparecer nas Costas; Interceções Interceções Agressivas; Apoio Defensivo Ficar na Frente

Zahavi (AC) Desmarcação de Apoio Largura Equilibrada; Desmarcação Ofensiva Aparecer nas Costas; Interceções Interceções Agressivas; Apoio Defensivo Ficar na Frente

Será interessante ver como Roger Schdmit irá aplicar as suas ideias num plantel que ainda está bastante indefinido, e perceber como o treinador vai gerir algumas posições que são fundamentais no seu sistema. Ainda assim, é um modelo muitíssimo interessante, principalmente para quem gosta de um futebol ofensivo e com um ritmo alto.

Vantagens:

– Sufocante em pressão

– Muitos jogadores no último terço

– Uma transição ofensiva fortíssima

Desvantagens:

– Algumas dificuldades a defender quando é ultrapassada a primeira fase de pressão