A Google apresentou hoje a nova plataforma Stadia. Uma consola que fisicamente não está perto de nós, mas sim algures num Data Center da Google, mas que corre em qualquer um dos nossos dispositivos via stream. Seja num computador, num telemóvel, num tablet ou na nossa televisão, podemos jogar o mesmo jogo em todos eles sem perder o ponto em que estávamos.

Stadia dá ao jogador a hipótese de jogar em todo lado, a qualquer momento. Isso promete mudar a forma como jogamos.

Também houve novidades para os developers de jogos que podem agora tirar proveito desta máquina da Google que, segundo a apresentação, é mais forte que a PS4 Pro e que a XBox One juntas. O objetivo da Google foi criar algo para juntar jogadores, developers e criadores de conteúdo para o youtube.

Tudo estará interligado. Nos exemplos de hoje, um jogador estava meio perdido em Tomb Raider sem saber o que fazer e através do Google Assistant, conseguiu ultrapassar a situação. Noutros exemplos onde viam uma transmissão em stream do jogo NBA 2K, este colocou-se em lista de espera para poder jogar e interagir com a pessoa que estava a fazer aquela transmissão.

A plataforma é imediata e sem downloads, podemos estar a ver um trailer de um jogo e no momento a seguir estamos a jogá-lo sem ocupar espaço nos nossos dispositivos. Para o fazer podemos usar os comandos tradicionais ou então o comando próprio que a Google criou para o Stadia que assim à primeira vista é parecido com o da PS4.

Publicidade - Continue a ler a seguir

Tem a funcionalidade de poder transmitir logo o jogo para o Youtube e tem ligação wi-fi direta com o dispositivo que estamos a usar. O comando liga-se diretamente ao Data Center da Google.

Confirmado estão já diversas parcerias com estúdios de desenvolvimento de videojogos, como são os casos da Unreal Engine ou a Unity. Pequenos e grandes estúdios têm a possibilidade de criar conteúdos com o Stadia.

Ficou por saber o custo do serviço e como funcionará na prática os jogos que teremos de comprar ou não. Uma coisa parece ser certa, sem uma boa ligação à internet, tudo isto pode ir por água abaixo. A ver vamos como será o “futuro dos videojogos”.