Developer: Visual Concepts; 2K Sports, 2K Games
Plataforma: Playstation 4, Xbox One, PC, Nintendo Switch
Data de Lançamento: 6 de setembro de 2019

Faltam 18 segundos para o jogo terminar e a minha equipa, neste caso, os Boston Celtics, está a perder por dois pontos frente aos LA Lakers. Com acesso à posse de bola e depois de um pedido de desconto de tempo da minha parte tenho a possibilidade de empatar ou de ganhar a partida se colocar a bola no cesto, caso contrário, terei de assumir a derrota. Era o sexto jogo da temporada e já ia numa série de três derrotas seguidas. O final desta partida conto mais à frente, mas foi um daqueles momentos à NBA, que me fez ficar a gostar muito deste NBA 2K20.

É certo que ao longo dos tempos fomos habituados à qualidade que a franquia NBA 2K colocava nos jogos. Ao ponto de se olhar para a televisão e ficar na dúvida se estávamos a ver um jogo a sério ou se era apenas e só um jogo. A qualidade gráfica continua lá toda. Intocável na réplica quase perfeita dos jogadores, no suor a escorrer pelo corpo, nos pavilhões cheios de vida com os adeptos a andar para um lado e para o outro, como na realidade. As mascotes a fazerem das suas, as cheerleaders nos descontos de tempo, na reação dos jogadores nos bancos das equipas depois de um afundanço e por aí fora. Podia continuar a enumerar tudo o que se passa num jogo de NBA 2K20, mas a verdade é que tudo isto já havia nas edições anteriores. É o preço da qualidade talvez. É um aspeto que pouco ou nada tem a apontar, mas ainda bem que continua assim. As músicas e o entusiasmo de tudo o que ali se passa dá a cada jogo uma vida diferente. Nas visitas a outros pavilhões que não o nosso, os adeptos vão assobiar-nos e provocar o desconforto para falharmos passes, lançamentos ao cesto e lances livres, aqui com maior incidência, uma vez que até a imagem abana quando estamos para executar este lançamento. Isto tudo junto dá mais vida ao jogo. É o espetáculo dentro do próprio espetáculo. 

A juntar a isto tudo, é dentro de campo que está a verdadeira mudança dos anos anteriores para este NBA 2K20. Os jogadores parecem mais soltos e livres no campo. Os movimentos e as novas animações dão outro realismo ao jogo e isso reflete-se na jogabilidade. Com a bola nas mãos os jogadores ajustam os passos, ajeitam a bola que parece mais viva que no passado recente. Os jogadores movem-se muito mais, procuram espaço e soluções para definir boas finalizações. Com isto tudo, atacar o cesto fica mais fácil e bem mais divertido que antes, mas tem um reverso da medalha. É na defesa que encontro os principais problemas deste NBA 2K20. Defender está mais difícil, talvez ainda mais que no NBA 2K19, mas ainda não tive tanto tempo de habituação para o poder comprovar. Já no jogo anterior demorei a saber usar as técnicas de defesa nas melhores condições e neste sinto que estou a sofrer mais pontos, quer em jogos offline, quer em jogos online. NBA 2K20 trás ainda um tutorial enquanto instala o jogo na consola o que permite perceber melhor como jogar e quais os movimentos que os analógicos fazem. Confesso que sou daqueles que ainda usa o botão para atirar ao cesto e o analógico para as fintas, mas agora percebi finalmente que tipo de movimentos é que é possível fazer na altura do lançamento com os tais analógicos. Ainda assim não fui capaz de abandonar um costume que já vem desde o NBA Live 96.

Outra grande novidade deste NBA 2K20 é a inclusão da WNBA no jogo. Podemos agora participar na Liga Feminina de basquetebol Americano e, embora não veja a sua entrada no modo MyTeam, dá para jogar uma temporada da WNBA. Talvez pudessem ter incluído mais coisas neste modo ou deixar criar uma franchise, mas fica para um futuro promissor. Em campo, também é notória uma diferença na jogabilidade quando se joga com equipas da WNBA. Parece até outro jogo. Nota-se mais espaço, a diferença brutal de alturas entre as maiores e as mais pequenas, a leveza da bola e o movimento que esta tem nas mãos de cada uma. É bastante divertido fazer umas partidas com as equipas femininas.

Fora de jogo, NBA 2K20 conta com os modos habituais. O MyCareer vem com uma nova história e mais cinematográfica que nunca. É certo que já tinha gostado das histórias anteriores, mas esta está bem melhor e se calhar mais certa, naquilo que passa pela cabeça de um promissor jogador de NBA em vésperas de ir a um Draft para ser escolhido para uma das equipas da liga. Ou não fosse ela produzida pela LeBron James & SpringHill Entertainment. As escolhas que fazemos vão permitir defender aquilo que acreditamos, não só enquanto jogadores, mas até em coisas da vida como a lealdade, ou justiça de certas situações com colegas de equipa. Pelo caminho vamos encontrar várias estrelas da NBA com quem vamos travando amizades e possíveis contactos para futuras transferências. Um envolvimento diferente e onde a diversidade de jogos acontece com mais regularidade. No caminho para o Draft fazemos, não só vários jogos, mas também provas de esforço, agilidade e lançamentos específicos para ver como nos saímos. Uma boa e bem vinda inovação. Mais à frente podemos vaguear pelos campos de rua e fazer partidas de 1×1, 2×2 ou 3×3 com outros utilizadores online, tal como já havia em NBA 2K19. A boa notícia é que ainda vamos poder fazer outros “jogos” divertidos, andar em triciclos, skates, ter parques temáticos, jogar ao “mata” e uma série de outras coisas que nunca mais acaba.

Outro dos pontos altos do NBA 2K20 é o habitual MyTeam, uma espécie de Ultimate Team do FIFA juntamente com o MyClub do PES. Vamos construindo a nossa equipa através de cartas que nos vão calhando nos packs que ou nos oferecem ou se gasta VC Coins, a moeda que vamos acumulando ao longo do jogo com as nossas vitórias e feitos e que depois são usados para desbloquear packs, atributos de jogadores ou itens do jogo. Esta relação entre a moeda virtual e NBA 2K não é famosa e se nos lembrarmos da edição de 2K18, onde era praticamente impossível fazer alguma coisa sem ter de gastar mais dinheiro, fosse comprar bons packs ou mesmo evoluir o nosso jogador no MyCareer, o ano passado já houve uma melhoria e este ano parece-me que ainda está melhor essa relação. Sejamos sinceros, isto das moedas in-game até pode fazer sentido num jogo a custo zero, mas se compramos um jogo por 70, 80 ou até por 100 euros em algumas versões, acho que era o mínimo, não limitar o jogo por falta de VC Coins, mas isto é um mal comum dos tempos atuais e não um problema único e exclusivo do NBA 2K20. Entre jogar para ganhar prémios, por divisões, em jogo de 3×3 e outros torneios, uma coisa é certa, há muito por onde jogar nesta longa jornada de MyTeam e até podemos evoluir algumas cartas especiais conforme vamos cumprindo certos objetivos com o jogador. 

O MyLeague trás o já falado campeonato de um ano da WNBA, a franchise de NBA durante 80 temporadas, o MyGM, onde dominamos desde tudo no clube, desde a equipa ao preço dos bilhetes dos jogos, de estacionamento, os patrocinadores e uma data de outras coisas. As redes sociais também estão ativas de uma maneira quase transversal a todos os modos, colocando mais realidade e picardias no jogo. As ligas Online, com amigos ou desconhecidos também continuam cá e tudo é possível colocar à nossa maneira, desde as equipas, às autorizações de transferências e por aí fora. Algo que reclamo em outros jogos de desporto há muito tempo. Ligas com amigos é dos melhores modos que se pode ter e NBA 2K20 não nos falha com isso. Além disto tudo ainda há os jogos do NBA Today onde podemos jogar online os jogos de cada dia, quando a competição arrancar, por enquanto não está disponível. No modo épocas e conforme a nossa prestação, vamos subindo no prestígio e jogar ligas de maior calibre. Os jogos de rua de 1×1 até 5×5 também não faltam naquele que já é um clássico.

Uma das desilusões deste NBA 2K20 é a instabilidade dos servidores nos jogos online e o tempo de espera que alguns ecrãs de carregamento demoram. Nas Cutscenes do MyCareer também às vezes se alongam em demasia e deixa a experiência esmorecer um pouco. Não é por aí que é pior, mas se tivesse mais ritmo, também não se perdia nada.

Depois de um Verão quente no que toca a transferências na NBA, a expectativa para esta nova temporada era alta. NBA 2K20 faz justiça ao legado que tem tido e assume-se como o melhor simulador de basquetebol de sempre. O título é dele há muito tempo, mas não se deixa dormir e continua a evoluir dentro e fora do campo. Desta vez até equilibrou a balança de jogo sem ser necessário recorrer a moedas virtuais, ainda que elas existam para quem quiser ter tudo mais rápido. É um jogo para os verdadeiros fãs de NBA e não só, que deixa qualquer um satisfeito, principalmente se terminarem um jogo com um lançamento triplo que vos dá a vitória no último segundo. Sim, foi esse o desfecho do meu jogo que vos falei no início. Caso para usar o slogan “I Love This Game”.

Deixa um comentário